Header Ads

Maia, antes de chegar a Fortaleza, diz que presidência da Câmara não é do governo, nem da oposição



Com uma puxada agenda de reuniões nos Estados e em Brasília em busca de votos para garantir, no dia primeiro de fevereiro, um novo mandato como presidente da Câmara Federal, o deputado Rodrigo Maia (DEM), que, nesta segunda-feira, tem reuniões em Fortaleza, declarou, por meio das redes sociais, que o cargo que ocupa não pertence a situação, nem a oposição.

Maia avançou nos últimos dias para garantir apoio da bancada do PDT que, no Ceará, elegeu7 parlamentares. Ele já tem apoio das bancadas do Avante, Solidariedade, PSD, PR, PSDB, Podemos, PPS, PROS e PSC. A agenda de Rodrigo Maia na Capital cearense tem encontro com o Governador Camilo Santana, no Palácio da Abolição, e jantar na casa do ex-vice-governador Domingos Filho. Domingos é pai do líder do PSD, Domingos Neto, um dos apoiadores da reeleição de Rodrigo Maia.

Com tantas siglas e correntes políticas diferentes, Rodrigo Maia articula apoios entre aliados e opositores ao Governo Bolsonaro, mas mantém um discurso de independência.

A presidência da Câmara não é de governo nem de oposição. Quanto mais representativo o comando da Casa, mais independente e altivo o Legislativo”, disse em sua conta oficial no Twitter. 

O discurso sobre uma possível vinculação com a oposição ou situação o fez destacar a linha de diálogo que adotou.

É por isso que tenho conversado e firmado compromissos tanto com partidos e parlamentares ligados ao governo quanto com aqueles que representam legitimamente a oposição”.

Segundo Rodrigo Maia, a Câmara Federal terá, neste ano, uma agenda com grandes temas e debates que “inquietam e mobilizam” a sociedade e devem ser debatidos da mesma maneira que temas a serem apresentados “pelos demais poderes republicanos”. 

Maia angariou apoio de quase a maioria dos deputados federais e, nesse momento, tem como adversários na disputa os deputados Fábio Ramalho (MDB-MG), Ricardo Barros (PP-PR), JHC (PSB-AL), Arthur Lira (PP-AL), Marcelo Freixo (PSOL-RJ) e Capitão Augusto (PR-SP). Quem obtiver a maioria dos 513 votos no primeiro turno, ganha a eleição para presidente da Câmara Federal.













Fonte: Folha UOL

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.