Header Ads

Nordeste é referência no mercado de rochas ornamentais e coloca Brasil em 4º no ranking mundial do setor



O Brasil detém uma das maiores reservas de rochas do mundo. A diversidade geológica disponível posiciona o país como o 4º maior produtor e 6º exportador mundial de rochas ornamentais. O negócio ganhou destaque na região nordeste nos últimos anos. O volume de exportações do Ceará superou já estados como Rio de Janeiro e Bahia.

Só no ano de 2017, 117 países importaram rochas ornamentais brasileiras. Os três principais importadores foram Estados Unidos, China e Itália, respectivamente, segundo levantamento mais recente da Associação Brasileira da Indústria de Rochas Ornamentais (ABI Rochas). 

Por atuar no ramo há mais 40 de anos, o empresário Sidney Santos acompanha a evolução e o destaque que a região tem alcançado, principalmente nos últimos três anos. “No ano passado, as exportações de rochas do estado do Ceará foram de 39,5 mil toneladas, US$ 26,6 milhões. O estado já é o terceiro maior exportador de rochas ornamentais do Brasil. Com os números, a expectativa é que o estado se consolide como o segundo maior parque industrial e de exportações do Brasil”, discorre Santos.

Embora o Ceará ocupe a terceira posição em exportações de rochas, ainda há uma distância entre o segundo e o primeiro posto de exportadores brasileiros. Em 2017, o estado que respondeu pela maior parte das exportações foi o Espírito Santo, seguido de Minas Gerais, Ceará, Bahia, Rio Grande do Norte e Pernambuco, Paraíba e Rio de Janeiro. Somente os cinco primeiros estados elencados anteriormente registraram faturamento superior a US$10 milhões para estas exportações.

EXPECTATIVA NO NORDESTE

As expectativas do setor estão voltadas ao nordeste. A região é um grande polo para materiais exóticos em geral. Em estados como Bahia, Ceará e Rio Grande do Norte é possível encontrar rochas ornamentais exclusivas, provenientes apenas do solo nordestino.

Pedras diferenciais como: Perla Santana, a Perla Venata, a ônix Vision e a Cristalo Pink e a estão entre as que fazem mais sucesso internacionalmente. Uma dessas pedras, a Cristalo Pink, um quartzo rosa sinônimo de luxo, brilho e riqueza foi um dos grandes destaques da última edição da feira Fortaleza Brazil Stone Fair, que teve sua quarta edição realizada neste ano.

Durante a feira, que aconteceu em abril, o Governo do Ceará, apresentou sua estrutura e potencial para receber novos investimentos para o setor. Dados do Sindicato das Indústrias de Mármores e Granitos do Estado do Ceará mostram que o Ceará deu um importante salto no setor de rochas ornamentais passando de 12 para 45 empresas operantes no Estado, entre as quais estão as maiores exportadoras do Brasil.


Atualmente a região Nordeste responde por cerca de 26% da produção brasileira. Sabemos que o potencial para aumentar este número é palpável. Mais de 40 empresas do Espírito Santo estão no Ceará extraindo blocos de granito e quartzito, o que mostra a riqueza do estado. Além disso, na região empresas locais tem se consolidado no mercado, gerando empregos e movimentando a economia da região, comenta Sidney Santos.

O empresário finalizou afirmando que, considerada a riqueza geológica e o potencial que existe no local, os investimentos recentes resultarão em forte crescimento nos números dos próximos quatro anos.

















Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.