Header Ads

Mais de 130 mil segurados não fizeram a ‘prova de vida’ e podem perder benefício



Cento e trinta e dois mil aposentados e pensionistas do INSS em todo país que não fizeram a prova de vida referente a 2018 podem ter o pagamento suspenso ainda este ano. Esses segurados estão sob risco de ter o pagamento dos benefícios interrompido até que atualizem seus dados. O procedimento deve ser feito nas agências bancárias que pagam as aposentadorias e pensões.

De acordo com o INSS, os 34 milhões de aposentados e pensionistas são obrigados a fazer o procedimento todos os anos para continuar recebendo os benefícios. Atualmente, não há mais um prazo final para que todos se apresentem aos bancos. A prova de vida do INSS precisa ser feita até 12 meses depois da última atualização de dados.

Conforme o instituto, quem não se recadastrar depois de um ano da última comprovação terá o pagamento interrompido. Passados seis meses sem comparecimento, o benefício é cessado pelo INSS. O segurado só voltará a receber quando provar que está vivo. A Previdência ressalta que procedimento é obrigatório para quem recebe por meio de conta corrente, poupança ou cartão magnético.












Com Agências de Notícias

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.