Header Ads

Ceará vence o Atlético-MG no Castelão e entra na zona de classificação para a Sul-Americana


A incrível reação do Ceará no Campeonato Brasileiro não é obra do acaso. É fruto de um time organizado taticamente, e que embora tenha limitações técnicas, mostra grande entrega coletiva e tem confiança pra disputar cada jogo com muita intensidade. O Ceará entra em campo vivendo a máxima de campeonato de pontos corridos, em que "cada jogo é uma final". Foi assim que o Alvinegro construiu a vitória por 2 a 1 sobre o Atlético-MG na noite desta segunda-feira (29), no Castelão, e deu mais um passo rumo à permanência na elite do futebol brasileiro.

Não somente pelos três pontos somados, que fizeram o Vovô chegar aos 37 e saltar duas posições na tabela, atingindo sua melhor colocação desde o início do torneio, mas principalmente por ter engatado duas vitórias seguidas num momento em que a competição vai se afunilando e exige competitividade e força mental para alcançar os objetivos. Algo que a equipe de Lisca comprova a cada rodada.

A vitória sobre o Galo orgulhou os 37.394 torcedores que se fizeram presentes plena noite de segunda-feira, e foi construída com muitos méritos e premiou dois dos principais personagens da reação alvinegra na Série A. 

O gol "sem querer" de Juninho Quixadá, aos 9 minutos de jogo, após tentativa frustrada de Maidana afastar o perigo enquanto a bola pererecava na zaga atleticana, foi a coroação de um dos mais habilidosos atletas do elenco cearense, e que vinha perseguindo as redes adversárias há algumas rodadas, mas falhava por pouco. Ali, o Ceará já era melhor e pressionava em busca do gol.

O empate atleticano, aos 25 da etapa inicial, com Cazares, em gol irregular (Ricardo Oliveira, que deu assistência, estava impedido), esfriou os ânimos dos donos da casa e arrefeceu o ritmo da peleja, mas só até os 17 minutos do 2º tempo, quando Leandro Carvalho acertou belo chute no canto de Victor.

Antes, o Vovô já havia desperdiçado boas chances de marcar com o próprio camisa 80 e com Arthur, ambos pararam no camisa 1 atleticano, que apesar da boa atuação, não foi capaz de evitar o triunfo dos donos da casa.

Novamente a engrenagem coletiva do Ceará funcionou e foi o grande destaque, mas individualmente, embora nenhum atleta tenha jogado mal, além dos autores dos gols, as atuações de Everson, Luiz Otávio, Tiago Alves e Richardson foram gigantes, tal qual a reação alvinegra no Brasileirão.

Dono da 5ª melhor campanha do 2º turno e restando sete rodadas para o fim do campeonato, o Vovô, mais que firme em sua luta contra a degola, pode sonhar em alçar voos maiores. A Sul-Americana é logo ali.
















Fonte: O Povo

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.