Header Ads

BNDES quer reduzir a zero tempo de empréstimo a empresas


O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) quer reduzir o tempo de espera para o desembolso dos financiamentos para empresas de até 181 dias para zero, após anunciar as novas regras para concessão de empréstimos, que estão em vigor desde segunda-feira, 22.

As empresas interessadas em linhas de crédito do banco passarão por um processo de habilitação, com prazo para conclusão em até 45 dias e validade de dois anos. Serão avaliados todos os dados financeiros da companhia, as normas de integridade e conformidade (compliance), além dos riscos de crédito.

“Uma vez habilitada, a empresa terá acesso a todos os produtos do banco mais rapidamente porque a parte de avaliação já terá sido feita. Deixaremos de fazer a análise individual de projetos que é repetitiva”, disse o presidente do BNDES, Dyogo de Oliveira.

Após a habilitação, serão criadas linhas automáticas para modalidades que não exigem garantias, como capital de giro e compra de máquinas e equipamentos. Nas linhas sem garantia, que terão crédito pré-aprovado, o tempo médio para desembolso pode cair de 181 dias para zero, após a habilitação.

Redução de etapas para concessão de crédito Oliveira afirmou que o processo anterior para concessão de financiamentos levava em conta a análise de cada projeto específico. “O foco agora são os clientes”, disse. Na metodologia anterior, para conseguir um financiamento, era necessário o cumprimento de seis etapas.

A empresa fazia uma consulta, passava por um enquadramento, havia uma análise do projeto, depois a aprovação, seguida da assinatura do contrato e, por último, o desembolso. Se uma companhia tivesse dois ou três projetos em áreas diferentes do banco, todos passavam pela mesma análise para cada operação. “Com a nova sistemática, classificamos os tipos de operação e definimos um procedimento adequado para cada uma delas”, declarou Oliveira.

Redução de tempo em todas as faixas

O presidente do BNDES afirmou que as linhas simplificadas, com necessidade de garantia, que tinham um tempo médio de espera para desembolso de 305 dias, podem cair para 30 após o processo de habilitação. Nas linhas Corporate, para grandes empresas, o tempo médio de espera é de 305 dias até a liberação do financiamento. A expectativa é de que esse prazo caia para 130. Nas linhas Project, para financiar grandes projetos de infraestrutura e outras operações com grandes companhias, o tempo médio deve passar de 577 dias para 270.

Rigor para a análise de crédito será mantido

Oliveira disse que as novas regras levaram em conta pesquisas que apontaram que os clientes, apesar de satisfeitos com a qualidade do atendimento, estavam descontentes com prazos para liberação dos empréstimos e com a burocracia. O presidente do BNDES também declarou que a redução do tempo para concessão de crédito não comprometerá o rigor das análises. Até agosto, o BNDES desembolsou R$ 39 bilhões em financiamentos. A meta é emprestar até R$ 80 bilhões em 2018.

Análise deve ser criteriosa, diz especialista

O analista de risco Luis Miguel Santacreu, da Austin Rating, afirmou que a medida pode ser positiva por mudar o foco dos projetos para os clientes. Apesar disso, ele disse que é essencial que a análise de crédito seja criteriosa, como sempre foi. “Muitas dessas operações e o relacionamento com os clientes eram feitos pelos agentes repassadores de crédito. Se o BNDES tiver uma base de dados interna e conseguir criar equipes de análise, enxergará o cliente como um todo. Agora passa a atuar de maneira semelhante aos bancos privados”, declarou.














Fonte: Portal Uol Notícias

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.