Header Ads

532 mil segurados do INSS têm benefícios cortados por não atualizarem dados cadastrais


532.588 aposentados, pensionistas e titulares de outros benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) tiveram os pagamentos suspensos devido a falta de atualização de seus dados cadastrais. Em todo o País, o INSS calcula que 34,7 milhões de segurados deveriam ter feito a prova de vida até fevereiro deste ano, nos bancos onde recebem mensalmente os pagamentos.

De acordo com o INSS, no total, 98,5% dos segurados foram recadastrados pela rede bancária pagadora de seus benefício até julho. Isso porque, embora o prazo tenha se encerrado em fevereiro, os segurados que tiveram o benefício suspenso por não comparecimento ao banco puderam se recadastrar depois disso, para restabelecer o pagamento. Se depois de um tempo o segurado não comparecer, o pagamento que já havia sido suspenso é cancelado.

No Rio de Janeiro, por exemplo, dos 2.967.966 segurados que precisavam se recadastrar, apenas 50.281 não o fizeram, ou seja, 1,69% dos convocados. No caso de São Paulo, o INSS esperava que 7.763.072 beneficiários se apresentassem aos bancos onde recebem os pagamentos mensais para fazerem a prova de vida. Somente 115.914 deixaram de comparecer, o equivalente a 1,49% do total.

Em Minas Gerais, 3.971.944 pessoas deveriam atualizar seu dados cadastrais nas agências bancárias, mas 70.992 não responderam à convocação (1,79% do total esperado). No Espírito Santo, dos 629.497 segurados que deveriam se recadastrar, apenas 1,32% não o fizeram (8.292 beneficiários).

Como é feita a prova de vida

Cada banco pode adotar o procedimento que julgar mais adequado. Há instituições financeiras que utilizam como parâmetro de convocação a data do aniversário do segurado. Outras levam em conta o mês de concessão do benefício. Há ainda aquelas que convocam o beneficiário um mês antes do vencimento da última prova de vida realizada. O uso de biometria é facultativo.

É importante destacar que essa atualização cadastral nos bancos deve ser feita anualmente por todos os segurados do INSS que recebem por meio de conta corrente, poupança ou cartão magnético, inclusive os que têm benefícios assistenciais, como o BPC/Loas (idosos acima de 65 anos e pessoas com deficiência carentes).

Deve-se levar um documento oficial com foto (identidade, carteira de motorista ou carteira de trabalho). Os beneficiários que não puderem ir até as agências bancárias por motivos de doença ou dificuldade de locomoção podem fazer a prova de vida por meio de um procurador devidamente cadastrado no INSS.













Fonte: O Globo

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.