Header Ads

Na estreia de Jorginho, Ceará perde para o Grêmio e segue sem vencer no Brasileirão



A má fase do Ceará no Campeonato Brasileiro parece não ter fim. Já são sete rodadas e o Alvinegro segue sem vencer na competição. Na noite deste domingo, 27, foi mais uma derrota, desta vez para o Grêmio, por 1 a 0, resultado que frustrou os alvinegros que compareceram na Arena Castelão.

Com o resultado, o Ceará permanece com três pontos na tabela e na vice-lanterna do campeonato. A situação só não é pior porque o Paraná é o lanterna.


O Alvinegro volta a campo já na próxima quarta-feira, 30, para enfrentar a Chapecoense, às 21 horas, na Arena Condá. O duelo é importantíssimo, tendo em vista que o time catarinense possui apenas seis pontos no campeonato e está uma posição acima do Vovô.

O JOGO

A primeira etapa foi marcada por equilíbrio e poucas chances de gol, mas superioridade gaúcha. O Tricolor teve muito mais posse de bola (60%), trocou mais passes (324 x 203 do Ceará) e finalizou mais (6 contra 3).

E não demorou para a maior qualidade técnica do Grêmio prevalecer. Mesmo como visitante, o time gaúcho foi quem propôs o jogo, teve maior posse de bola e criou a melhor chance de marcar logo aos 4 minutos, em que o atacante Everton invadiu a área e mandou na trave.

Do lado Alvinegro, a proposta era clara: defender-se para apostar nos contra-ataques. Foi basicamente isso que o time fez nos primeiros 45 minutos. Mesmo estando organizado defensivamente, sem deixar o time gaúcho criar muitas outras oportunidades de ameaça real ao gol de Everson.

O problema era que o Ceará tinha dificuldades em encaixar as transições ofensivas. Wescley era o único que tentava verticalizar as jogadas com velocidade, mas geralmente via-se isolado junto com Elton. Faltava maior apoio dos companheiros no campo ofensivo.

No 2º tempo, Jorginho tentou corrigir justamente isso. Sacou Felipe Azevedo e colocou Hyuri na tentativa de dar maior agilidade nos contra-ataques. O problema é que quando tentava atacar, o Ceará nunca subia em blocos e os homens de frente se viam sempre isolados entre os defensores azuis.

Se no primeiro tempo foi superior mas não teve efetividade na criação de oportunidades de gol, no segundo tempo o Grêmio voltou decidido a resolver o jogo. O Tricolor chegou a ter 62% de posse de bola na segunda etapa e forçou o goleiro Everson a fazer grandes defesas.

O camisa 1 só não conseguiu evitar a cabeçada de Thonny Anderson, aos 36 minutos do 2º tempo, após grande jogada de Everton, que arrancou em velocidade ainda do campo de defesa e cruzou na medida para o companheiro marcar o gol da vitória.

Ao apito final, vaias e muito protesto da torcida, inconformada com o momento vivido pelo clube.















Fonte: O Povo

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.