Header Ads

Contra a reforma da previdência: Bancários e comerciários participam de paralisação marcada para segunda-feira



Mobilizações contrárias à reforma da Previdência voltarão a ocorrer no Centro de Fortaleza. Paralisação, organizada pela Frente Brasil Popular, foi anunciada para a próxima segunda-feira, 19. A manifestação se concentrará na Praça Clóvis Beviláqua, a partir das 9 horas e seguirá pelas ruas. A retomada de ações contra a reforma foi decidida em reunião entre a Central Única dos Trabalhadores (CUT), Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB), Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), outras forças sindicais e movimentos sociais.




Integrante da Frente Brasil Popular e membro da organização camponsesa Via Campesina, Josivaldo Oliveira disse ao O POVO Online que a paralisação fará a denúncia contra a reforma da Previdência em todo o País.Sobre os sindicatos que estarão presentes, ele afirma que não há como precisar, já que as entidades têm autonomia.

Os bancários são uma das categorias engajadas. O presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará (SEEB/CE), Carlos Eduardo, disse que estão confirmadas na manifestação as centrais sindicais, o Movimento Estudantil, o Movimento dos Trabalhadores da Agricultura Familiar, o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), a Frente Povo Sem Medo, assim como servidores públicos federais, estaduais, municipais. Integram ainda a manifestação, conforme o sindicalista, metalúrgicos, professores, eletricitários e movimentos culturais e de mulheres.

Para Eduardo, este é o movimento de todos que estão perdendo a aposentadoria por causa do presidente da República, a quem nomeou de "Vampirão Temerário". "Quem votar a favor da reforma da Previdência, está votando contra o povo brasileiro", coloca Eduardo. Ele afirma que, durante a paralisação, estará presente nas ruas um boneco de Michel Temer, aos moldes do feito pela Paraíso de Tuiutí, bem como a foto de todos os deputados favoráreis à reforma.

O secretário de Finanças do Sindicato dos Comerciários do Ceará, José Oliveira, afirma que a orientação dada aos comércios será a de paralisação. "O movimento que nós vamos fazer é pra fechar o comércio. O que a gente orienta é que feche para evitar qualquer tipo de problema". Ele afirma que o sindicato não irá fechar totalmente, mas atuar com os serviços reduzidos em virtude da alta demanda. 

Por meio de nota, a CUT afirmou à reportagem que "o enfrentamento diário contra essa proposta que prejudica toda a classe trabalhadora, em especial os mais pobres, culmina nos atos e paralisações em todas as regiões do Estado, seguindo o calendário nacional de lutas no dia 19". O comunicado diz ainda que a Vox Populi, contratada pela Central, constatou que 85% das pessoas consideram a campanha pela reforma como enganosa.

Interior do Estado

A CUT informa que a agenda de manifestações se espalha, também, pelo Interior do Estado no mesmo dia. No Cariri, a concentração será na passarela da avenida Padre Cícero, na CE 292, entre Juazeiro do Norte e Crato, às 8 horas. No Vale do Jaguaribe, a concentração será no Triângulo de Peixe Gordo em Tabuleiro do Norte, às 5 horas. Em Iguatu, a concentração será na Praça da Caixa Econômica, às 8 horas. Em Crateús, a Praça da Matriz será o local de concentração, que se inicia às 7 horas. Em Itapipoca, o prédio do INSS é o ponto de partida da manifestação.

Votação da reforma

Conforme noticiado pelo O POVO Online, na manhã desta sexta-feira, o presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ) afirmou que é difícil votar a reforma na semana que vem em caso de o decreto de intervenção estar na pauta do Congresso. Ele também afirmou que é complicado adiar a votação para março. Para ele, o momento apropriado será a última semana de fevereiro.








Fonte: O Povo

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.