Header Ads

Maior chuva do ano em Fortaleza causa alagamentos e transtornos





Um corre-corre para encontrar abrigo enquanto aguarda o transporte coletivo, trânsito lento entoado pelas buzinas dos mais agoniados, sinais em amarelo “piscante” ou intermitente. Com a maior chuva do ano 2018 em Fortaleza – volume pluviométrico registrado foi 57.6 mm -, vieram também alguns transtornos recorrentes quando há precipitações na Cidade.

Segundo a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), "não foram registrados pontos de alagamentos". A Defesa Civil de Fortaleza registrou na manhã desta quinta-feira, 18, quatro ocorrências. Deste número, três saíram da Regional II, sendo uma de alagamento e outras duas de risco de desabamento. Já na Regional VI, a ocorrência foi de inundação. No entanto, o órgão não divulga os bairros onde as ocorrências ocorreram. 

O POVO Online percorreu a Cidade e viu alguns locais alagados. No bairro Montese, na altura da Avenida Professor Gomes de Matos cruzando a rua Desembargador Praxedes, os motoristas reduziam a velocidade para passar por uma grande poça de água. Na Avenida Expedicionários, o cenário era o mesmo ao longo da via. Ao sair da rotatória da Avenida Aguanambi sentido Avenida Eduardo Girão, os motoristas se deparavam com alagamentos

Ao todo, 17 semáforos apresentaram problemas nesta manhã, 18, segundo a AMC. O órgão explica que o problema ocorre devido a oscilação na rede de energia. Até ás 11h23 de hoje, seis ainda estavam com problemas. “Técnicos já estão em campo providenciando o funcionamento dos mesmos”, explicou o órgão.

Riscos 

Em nota enviada à imprensa, a Defesa Civil afirmou que está em alerta e realiza um trabalho de prevenção e monitoramento das áreas de risco da cidade. No comunicado, o órgão destaca que em todos os casos de risco, a população deve estabelecer contato por meio do 190. Equipes atendem 24 horas por dia. Veja os bairros que cada regional compreende:

Regional II

Aldeota, Cais do Porto, Cidade 2000, Cocó, De Lourdes, Dionísio Torres, Engenheiro Luciano Calvalcante, Guararapes, Joaquim Távora, Manuel Dias Branco, Meireles, Mucuripe, Papicu, Praia de Iracema, Praia do Futuro I e II, Salinas, São João do Tauape, Varjota, Vicente Pinzon.

Regional VI

Sabiaguaba, Edson Queiroz, Sapiranga, Alagadiço Novo, Curió, Guajerú, Coaçu, Paupina, Parque Manibura, Cambeba, Messejana, Ancuri, Pedras, Jardim das Oliveiras, Cidade dos Funcionários, Parque Iracema, Auto da Balança, Aerolândia, Dias Macedo, Castelão, Mata Galinha, Cajaeiras, Barroso, Jangurussu, Passaré, Parque Dois Irmãos e Lagoa Redonda.

Expectativa

Até então, o dia com maior volume pluviométrico na Capital havia sido no último dia 11 de janeiro, quando foram registrados 27,8 mm, além de chover em outras 60 cidades. Nesta quinta-feira, a chuva também banhou 27 municípios cearenses. A maior precipitação foi registrada em Itaitinga, com 90 mm.

Choveu também em Iguatu (46mm), Cariús (24 mm), Pacatuba (16mm), Várzea Alegre (13,4 mm), São Gonçalo do Amarante (11 mm) e Caucaia (8.9 mm). No decorrer do dia, a Funceme prevê nebulosidade variável com possibilidade de chuvas isoladas na Região Jaguaribana e na faixa litorânea. Nas demais regiões, céu parcialmente nublado.

O meteorologista e supervisor da Unidade de Tempo e Clima da Funceme, Raul Fritz, explica que a mudança climática é característica da estação pré-chuvosa. “Neste período, os sistemas meteorológicos se formam de forma rápida...E, de uma dia para o outro, podemos observar uma variação da condição meteorológica de tempo claro com sol e pouca nuvens ou um céu isento de nuvem para, repentinamente, uma condição de chuva que surge”, exemplifica.






Fonte: O Povo


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.